“O sonho é passar essa oportunidade para essas 40 crianças, de alguma forma a gente vai mudar a vida delas. Não é só trazer as crianças para andar de kart, há o acompanhamento dos estudos. Queremos mostrar que o automobilismo pode incluir pessoas em vulnerabilidade social e de baixa renda na sua prática cotidiana”.

Sérgio Sette Câmara
Piloto
Reproduzir vídeo

Desde o início das atividades do Instituto Sérgio Sette Câmara havia a intenção de criar um projeto social que encampasse nossos valores e fizesse a diferença na(s) comunidade(s) em que atua. Depois da formatação da iniciativa e de muito empenho na busca por parceiros, o ano de 2021 marcou a largada do Projeto AUTOMOBILISMO EDUCACIONAL. Que encontrou no Kartódromo RBC Racing, em Vespasiano (MG), sua primeira casa. Um local emblemático, já que nele o piloto que empresta seu nome ao ISSC conquistou vitórias e títulos importantes, além de se preparar para os desafios que o levaram às pistas internacionais.

Mais do que formar campeões – sempre uma possibilidade –, a ideia é complementar às atividades escolares dos participantes, fornecer apoio psicossocial e oferecer uma prática saudável que, sem o projeto, seria inacessível. Os recursos para o projeto foram captados através da Lei Federal de Incentivo ao Esporte.

Por meio de uma parceria inédita com a Prefeitura Municipal de Vespasiano foram selecionadas as 40 crianças e adolescentes (sendo 20 meninos e 20 meninas) para compor a primeira turma. Com a participação direta da Secretaria Municipal de Educação e dos diretores de 10 escolas municipais foram selecionados alunos levando-se em conta o desempenho escolar, a frequência às aulas e, por fim, a vulnerabilidade social (todos os alunos participam do programa Bolsa Família do Governo Federal).

Em dois encontros semanais (às segundas e quartas-feiras), ao longo de um ano, os participantes, divididos em faixas etárias (11 e 12 anos/13 e 14 anos), recebem orientação teórica sobre a pilotagem dos karts – regras, comportamento na pista, bandeiras – e andam nos karts com o acompanhamento de monitores. Além disso, desenvolvem atividades extra-pista com o suporte de psicólogos e recebem um lanche caprichado.

Diante do sucesso da primeira turma, a expectativa é de levar o AUTOMOBILISMO EDUCACIONAL a outras praças e ampliar seu raio de ação.